sexta-feira, novembro 21, 2008

Morabeza

Às 8h e pouco da manhã já entrava pela janela do meu quarto o barulho da sala de aula. Vesti-me e desci. O portão da entrada, grande, castanho-ferrugem, estava aberto. Ao segundo portão, que estava trancado, veio Alice, coordenadora da escola.
Encontrei o sorriso do costume. “Entre, temos todo o gosto. Esta é a sala da 5ª classe.” Senti-me cercada de olhares curiosos.
Eram exactamente quarenta e quatro olhos grandes, negros e irrequietos. Os miúdos arrastaram as cadeiras e puseram-se de pé, para soltarem, num coro ensaiado, entusiasmado e em uníssono: “Muito bom dia! Bem-vinda à nossa escola!”
As perguntas começaram em catadupa: “Quem é? O que está cá a fazer? De que país veio?, e tudo, e tudo, aos tropeções. Expliquei à pressa, sorri, acenei e saí, com a promessa de que voltaria depois, para lhes fazer algumas perguntas.
“Joana!”, chama uma figura a dar-me pelo ombro, com pele clara, sardas e dentes desalinhados, em passos apressados na minha direcção. “Nós também queríamos fazer-lhe umas entrevistas. Pode ser agora?”

Olhei para o professor, lá ao fundo, como quem pergunta se não incomoda. “Eles têm tantas coisas para lhe perguntar, só posso deixá-los aprender.”
E tinham. Sentados no chão, em círculo, perguntaram tanto que não fui capaz de articular uma só pergunta.
“Como é o teu país? Como são as pessoas? Onde moras tu? O que é que se come lá? Qual é a tua cor favorita? Achas que aqui está frio? Qual é o teu prato favorito? Quantos anos tens? Por que é que quiseste ser jornalista?”
- “Quis ser jornalista por ter vontade de perguntar tudo e de contar as estórias e a história das pessoas de verdade, como vocês. E porque achei que fazia muitas perguntas. Afinal não faço tantas assim.”
“Por que é que vieste para Cabo Verde? Queres que te ensinemos a falar crioulo? O que é que já sabes dizer? Quantas ilhas visitaste? És vegetariana?( “Eu também tenho pena dos bichos, mas é para matar. Quando é para comer passa-me.”) Podes ficar para ver o nosso jogo de futebol? Podes tirar-nos fotografias? Quantas modelos profissionais há em Portugal?”
E mais, e mais e mais. Sempre atentos, de braço no ar, até à última dúvida.
Recreio. Doces, o sol enorme em cima das nossas cabeças e morabeza. Morabeza.
- “Vê se gostas. É a minha cor favorita.”
Uma pulseira cor-de-rosa, com uma fivela.
- “Ela gosta é de azul!”
Um anel da Barbie, enorme e com brilhantes.
- “Mas amarelo também é bonito.”
E mais um igual, em amarelo.
E eu sem jeito e já sem mãos para tantas prendas. Rebuçados, chocolates, pipocas e uma felicidade que não posso dizer com palavras.
- “Mesmo que não comas o caramelo todo, come pelo menos metade, vá!”

Senti uma vergonha imensa da Joana de 10 anos, que jamais poria nos dedos de outra pessoa um anel da Barbie. Ainda por cima da Barbie. Que nunca olhava para o lado enquanto comia um doce, não fosse alguém querer provar. E que, fazendo isso, nunca, nunca teria aquele sorriso sincero na cara.
Mas não se agradece. É morabeza. É cabo-verdiana como a saudade é portuguesa, cabe mal nas traduções. Sente-se, não se diz. Dá-se para fazer alguém feliz.
- “A minha pulseira diz love. Alguém sabe o que quer dizer?”
- “Sabemos dos filmes. Não temos inglês.”
- “Não temos formação para dar aulas de inglês aos miúdos. Gostavamos muito, mas não podemos”, explica-me Paulo, 33 anos, professor da turma.
Nunca tinha visto miúdos tão entusiasmados com a ideia de terem mais um disciplina e mais trabalho.
- “Queremos aprender, claro!”
E palmas, e saltos, e gritos. E planos para o que fariam se soubessem a língua dos filmes. Agora, às segundas e sextas há aulas de inglês na Escola Básica da Terra Branca.
- “A Joana vai ser nossa professora? Vai ensinar?”

- “Mais ou menos. Vou ser professora, mas mas não vou ensinar; vou aprender. Morabeza.”

3 comentários:

Anónimo disse...

Esses miúdos são felizes porque não têm a nossa Ministra da Educação.

Simão

Marco Silva disse...

Excelente post ;) Parabéns! Espero que esteja tudo a correr bem por aí. As fotos também são muito boas! Beijinhos

Joana Machado disse...

Bom dia Joaninha!

Li todos os teus textos, vi todas as tuas fotos (cada vez melhores) com um misto de fascinío (lá está a TVI a fazer-me falar de novelas) e inveja boa (há inveja boa? se não há inventa-se agora. Traduz um sentimento de "queria estar aí contigo" e não a inveja má "não queria que aí estivesses" lol acho que percebeste a ideia). Perdi-me. Ah, fascinio e inveja boa =) Vou passando pra deixar beijinhos e derreter-me com os teus textos (passei também pelo blog do teu amour e ri-me que nem uma louca com a história daquele utensilio giro a que o rapaz chama "repuxo". é oficial voces são a ANGELINA JOLIE E O BRAD PITT portugueses. Trgam muitas criancinhas de muitas cores).

Beijos sensacionais (lol. TVI)